segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Troca de casais.


É na noite e no silêncio das grandes cidades brasileiras que eles se multiplicam.
Não têm placas na porta, nem endereço público.
Mas quem se interessa pelo assunto chega lá sem dificuldades.
Um homem e uma mulher que estão casados há anos buscavam novas emoções. Queriam viver na prática suas fantasias mais secretas. Hoje lideram a Sociedade Secreta Swinger - um grupo que se encontra para fazer troca de casais ou swing.
"Eu gosto de vê-la sentindo prazer da mesma forma que ela gosta de me ver sentindo prazer. Isso é o que a gente chama de o extremo do amor. O extremo do amor que eu sinto por ela é eu poder dar a ela mais do que ela tem comigo", diz o homem.
"Para nós, o fundamental é a cumplicidade. A gente faz tudo junto. Se a gente está com outra pessoa, se existe um terceiro ou um quarto, ou seja lá quantas pessoas forem, a gente está sempre junto dividindo isso. É diferente do casal em que o homem tem uma fantasia e sai sozinho", comenta a mulher.
Apreciadores do swing sempre existiram, mas hoje há uma confusão de conceitos, pessoas desinformadas tendem a misturar "Troca de casais/Swing" com "Sexo Grupal; Ménage; Gang Bang..." na verdade os pensamentos estão errados, pois aqui vemos variadas fantasias e não só a troca de casais)Uma jovem cientista social resolveu estudar o assunto. Ela descobriu que mesmo quando pretende quebrar todas as regras, o sexo grupal tem seu próprio código de comportamento. (Outra confusão, os casais liberais não são anarquistas, nem querem quebrar todas as regras, apenas tem regras diferentes.)
A antropóloga Olívia von der Weid foi a 19 encontros e observou que os casais fazem sexo com vários parceiros, mas mantêm uma relação afetiva monogâmica.
"Eles têm relações sexuais com outros, mas o casamento, a relação de amor e afeto, é com seu cônjuge, não é com todo mundo.
Para eles, traição é quando o seu parceiro se relaciona com outra pessoa afetivamente. Segundo eles, estão ali fazendo sexo, amor eles fazem só com o parceiro. Há uma divisão entre sexo e amor", explica a pesquisadora.
A Sociedade Secreta Swinger. O Blogger recebe mais de 100 e-mails por dia. O universo de interessados é abrangente.
"Geralmente são casais mais maduros, na faixa dos 30, 40 anos, no segundo casamento. Temos visto casais novos, entre 20 e 30 anos, procurando informações sobre sexo liberal", conta o marido entrevistado. Sexo grupal em tempos de Aids é sexo de risco. Mesmo que a regra básica para freqüentar esses clubes seja o uso do preservativo. (Loucos existem em toda a sociedade, pelo menos entre os casais dos grupos que freqüentamos a exigência de camisinha é regra básica)
"Não tem aquela de esquecer", garante a mulher. "Não tem essa. Ela anda com camisinha na bolsa e eu, no carro. Os clubes vendem.
A gente faz apologia do uso da camisinha, sexo seguro o tempo inteiro", afirma o marido dela.
Escutamos em um clube de Curitiba uma história diferente. "É uma certa roleta, tem risco, como tudo na vida. Eu faço opção por esse tipo de prazer, por esse tipo de relacionamento, então, se eu ficar com medo, eu não vou fazer", comenta o homem.
"É difícil manter normas sanitárias dentro de um grupo grande, onde rolam bebidas e drogas. (Aqui a informação chegou distorcida, com a chegada de casais mais novos aos clubes de swing vieram também consumidores de drogas comuns em baladas noturnas, na minha opinião em menor número que em outras baladas noturnas, simplesmente porque droga não combina com sexo, prejudicando o desempenho e o clima necessário. Para se ter uma idéia até mesmo o cigarro e bebidas alcoólicas não são bem vistas por muitos casais do meio liberal. Drogas são um problema presente com muito mais intensidade em outros grupos sociais.)
Acho que deve ser bastante complexo manter cuidado. Hoje em dia sabemos quantas doenças venéreas são transmitidas sexualmente. Então, há riscos", diz o psicanalista Alberto Goldin.
"Não são todos os casais que têm essa prevenção. Conheço casais que preferem se fazer exames e ter um relacionamento com o sexo liberal sem o uso do preservativo. É uma coisa com a qual não concordamos, não achamos certo", diz a mulher do segundo casal entrevistado.
"Seria certo que esse homem usasse camisinha, mas geralmente são pessoas que a gente conhece. Seria o justo, mas não vejo necessidade", acrescenta. (Tenho pena desse casal, acha justo usar camisinha mas não exige? No meio liberal/swing ninguém é obrigado a nada, se ela permite é uma pessoa submissa que terá problemas independentemente do grupo social que frequentar)
Eles se conheceram pela Internet e tinham as mesmas fantasias sexuais. Hoje estão casados e têm um filho de sete meses. Eles dizem que a opção pelo sexo grupal nada tem a ver com o desgaste do casamento.
"Nós acreditamos que a vida liberal não é uma bengala para salvar o casamento. Você tem que estar muito bem, muito feliz com o seu relacionamento e seguro de si. Se não estiver seguro, o relacionamento vai desmoronar na hora, não tem jeito", comenta o homem. (Penso dessa forma também, relacionamento liberal é para casais que estão bem, nunca para casais que estão em crise)
A clandestinidade não os incomoda, porque, na verdade, encontraram nova roda de amigos, interessados no mesmo tipo de prazer.
"A gente se distanciou das amizades normais. A gente fala normais brincando, porque a gente também se acha normal", diz o homem.
"Já encontrei na casa de swing gente que nem imaginava que fosse freqüentar, como a professora de spinning dele. Gente do bairro, vizinho, gente que você olha com cara de bonzinho", revela a mulher dele.
O casal garante que continua a fazer, com muito prazer, o sexo convencional, a dois. Mas o marido confessa que o sexo grupal exerce uma atração alucinante sobre ele.
"O swing é como uma cocaína, vicia. Você quer ir outras vezes e começa a se interessar por sites, por anúncios de outros casais", diz a mulher.
"Hoje os casais têm a possibilidade de escolher a relação que eles querem viver", comenta a antropóloga.
"Para cada um deles isso tem um valor diferente. Pode ser expressão de liberdade, uma necessidade de ver a própria mulher fazendo sexo com outro homem ou uma necessidade exibicionista", constata o psicanalista. (Um pouquinho de cada e outras coisas mais...rs)
"O sexo é livre nesses lugares, mas há regras de aproximação, de etiqueta, como chamam. Uma das coisas que eles dizem é que você pode tudo, mas não é obrigado a nada", revela a antropóloga.
Sociedade Secreta Swinger - Curitiba

22 comentários:

  1. tenho interesse no assunto, curiosidade é a palavra correta..mas como sou solteiro, é mto dificil tirar conclusoes.

    ResponderExcluir
  2. sou casado, eletricista residencial em curitiba, eu e minha esposa temos fantazias loucas, e amamos filmes porno de troca de casais e ela ama assistir cenas de dupla penetração... gostariamos de conhecer casais que possam nos esclarecer mais a respeito...
    meu e-mail eletricistatensao@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. JoaoPedro

    Somos casados ha 4 anos,temos muitas curiosidades e gostariamos de conhecer locais discretos e seguros, para tentarmos algo.

    meu email: jpp3008@hotmail.com.br

    ResponderExcluir
  4. eu e minha mulher temos vontade mas temos um pouco de medo eu adoraria ir com ela vcs tem como enviar um apoio moral por email?

    ResponderExcluir
  5. Eu e meu marido gostaríamos muito de que eu pudesse traí-lo com outro homem. No entanto, sou ciumenta, não iria gostar de vê-lo com outra. Ele, na verdade, vive fantasiando em me ver fazendo sexo com outro e eu adoraria fazê-lo. É possível este tipo de triângulo amoroso, nesta sociedade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me adicione no msn, ex_droger10@hotmail.com

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. me adiciona no Msn boycummins@hotmail.com

      Excluir
    4. Olá Iris, sou Casado a 14 anos e a tempos nós nos oferecemos novos amigos e só apimentou nossa relação, mas vc terá que fazer seu marido se sentir em situação igual aí, será os dois em busca de dar e receber entende? se quiser me mande um e-mail eu respondo marcio.juntossempre@hotmail.com um abraço...

      Excluir
    5. ola iris tambem sou casado e adoraria comer uma mulher casada ,mas tanbem não aceito a idéia de outro homem e ninha mulher,meu nome é maicon e tenho 27 anos e de boa aparencia.aguardo o seu email mrommel153@gmail.com adoraria poder satisfazer o seu desejo.....

      Excluir
    6. ola iris souda regiao e quero conhecer o casal sou coroa casado limpo sem vicios e sigilo absoluto msg 4791241300 ou zzekarlos@gmail.com

      Excluir
    7. olá casais sou Moreno claro 178alt 85kg sou de ctba adoro sexo c casais sou hetero...amigodecasalctba@gmail.com mande mens entrarei em contato..abraçs

      Excluir
    8. Adoro sexo com casais sou Moreno claro 177alt 38anos ,85kg....sou hetero...

      Excluir
  6. Somos um casal novo de curitiba, tenho 21 anos e ela 18, gostariamos de conhecer casais, homem ou mulher para aventuras, se tiverem interesados add a gente no msn, ex_droger10@hotmail.com, favor mencionar onde conseguiram o email.

    ResponderExcluir
  7. meu nome é michael ,tenho 27 anos e gostaria de aventuras com mulheres casadas ou solteiras ;sósinhas ou com o marido olhando .encontros para sexo.interessadas enviar email para mrommel153@gmail.com

    ResponderExcluir
  8. sou casado tenho 32 anos 1,79m 85 kg moreno olhos e cabelos castanhos bom dote quero conhecer casal de curitiba para uma deliciosa amizade com sigilo e segurança

    ResponderExcluir
  9. Sexo a três? Me ligue Milena 96792156

    ResponderExcluir
  10. sou moreno, tenho 1.78 de altura e 80 kg, sou DJ e quero fazer uma festinha particular com vc(s) mulheres e casais entre em contato comigo!! o som as luzes e um pau grande,são por minha conta !!

    santosfernando@hotmail.com.br

    ResponderExcluir
  11. tenho interesse em mulheres que querem só uma boa brincada rsrs meu email donrafa_85@hotmail.com

    ResponderExcluir